Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
21 de fevereiro de 2024 23:13

3 Perguntas com Laura Petri

3 Perguntas com Laura Petri

Vice-Presidente Operacional da Casal compartilha insights exclusivos sobre a pioneira migração para o Mercado Livre de Energia e revela planos ambiciosos para modernização e sustentabilidade no setor de saneamento em Alagoas

Bem-vindo à coluna 3 Perguntas, aqui no portal Investindo por Aí! Neste espaço, destacamos personalidades que contribuem significativamente para o desenvolvimento econômico da região Nordeste.

Laura Petri durante apresentação no Brazil WindPower | Reprodução

Hoje, temos o privilégio de entrevistar Laura Petri, Vice-Presidente Operacional da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal). Laura é engenheira civil formada pela PUCCAMP, com especialização em Gestão Ambiental pela UNICAMP e um MBA em Liderança e Gestão Organizacional pela FranklinCovey. Seu comprometimento com Alagoas vai além das fronteiras técnicas, representando o Estado em diversas discussões sobre a diversificação da matriz energética para fontes mais sustentáveis.

À frente de avanços significativos na modernização das operações da Casal, Laura Petri liderou a empresa a um marco histórico ao torná-la a primeira estatal alagoana a migrar para o Mercado Livre de Energia. Essa iniciativa, com potencial para reduzir em até 35% os custos com energia elétrica na empresa, reflete não apenas eficiência operacional, mas também um compromisso com a sustentabilidade. A atuação de Laura evidencia seu papel fundamental no progresso positivo da Casal, trazendo inovação e eficiência para o setor de saneamento em Alagoas.

A decisão da Casal em migrar para o Mercado Livre de Energia é uma iniciativa pioneira no estado. Pode compartilhar conosco os principais benefícios que a empresa espera alcançar com essa transição, tanto em termos econômicos quanto na qualidade dos serviços prestados aos consumidores?

Podemos dizer que a sustentabilidade, com a aquisição de energia incentivada (limpa), a capacidade energética com a contratação garantindo um volume de energia para os próximos seis anos e todo planejamento financeiro fazem parte dos benefícios que visualizamos, visto que, entramos no mercado livre em uma época muito boa em relação aos preços de compra de energia, o que nos garante também uma segurança financeira para a companhia, já que o nosso maior gasto hoje é com energia elétrica.

Com a migração para o novo modelo a Casal antecipa uma redução significativa nos custos de energia. Poderia explicar como essa economia vai impactar nos investimentos realizados pela empresa?

Teremos uma economia inicial na casa dos 35% de redução sobre a metade da despesa total com energia (cerca de R$ 1,5 milhões mensais), utilizando esta economia em melhoria de serviços para população e na eficientização dos serviços prestados, bem como na qualidade da água produzida.

A mudança para o Mercado Livre de Energia é parte do processo de reestruturação da Casal. Pode nos falar um pouco mais sobre outros planos de modernização da empresa?

Sob o ponto de vista operacional, além do foco na redução do gasto com energia elétrica, adotamos uma série de medidas de forma a garantir eficiência energética, o que resulta também em economia. Também estamos focando nas boas práticas de operação, com foco no uso de produtos químicos e demais insumos para tratamento de água, o que também refletirá em redução de custos, além de melhora na qualidade da água produzida.

Para o próximo ano, faremos a migração das unidades consumidoras em alta tensão restantes e também iniciaremos os estudos e modelagens para a autoprodução de energia, que é o primeira passo para, num futuro próximo, a Casal tornar-se além de produtora de água, também ser produtora de energia.

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Maceió
IPVA Ceará
Lucas Araripe | Reprodução
sebrae
refinaria
Elétrico da BYD em exibição na Bahia | Reprodução
Paulo Raposo assume a Diretoria de E-Commerce da Carajás Home Center
Pesquisador da Universidade Federal de Viçosa mostra combustíveis produzidos a partir da Macaúba | Foto: Acelen
Carnaval de Olinda | Reprodução
Fachada do Banco do Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }