Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
21 de fevereiro de 2024 23:43

Exportações do Rio Grande do Norte saltam 234% em maio

Exportações do Rio Grande do Norte saltam 234% em maio

Crescimento foi puxado pelas exportações do óleo combustível do estado

O Rio Grande do Norte retomou os envios expressivos de óleo combustível de petróleo bruto para o continente asiático, mais precisamente para Singapura. Em maio, foram exportadas mais de 68,8 mil toneladas do produto, que resultaram em transações comerciais da ordem de US$ 40,3 milhões, colocando o óleo combustível na primeira posição no ranking das mercadorias mais exportadas pelo Estado no quinto mês do ano. As remessas do derivado de petróleo refletiram diretamente no volume total das exportações potiguares, que somaram mais de US$ 60,656 milhões em maio.

Cifras que representam uma alta superior a 234,3% no comparativo com igual mês do ano passado. Em relação a abril, o crescimento foi de 39,2%.
Divulgação
Os dados do comércio exterior estão na edição de maio do Boletim Balança Comercial do RN, um informativo elaborado pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae no Rio Grande do Norte com base nas informações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O boletim acompanha a evolução do comércio exterior do Estado mês a mês, assim como as operações de compra e venda de mercadorias no mercado internacional durante série histórica, que leva em consideração os cinco últimos anos.
Em maio, o saldo da balança comercial do Rio Grande do Norte em maio registrou o superávit de US$ 11,137 milhões, o segundo maior para o referido mês desde 2018, atrás apenas do ano de 2019. O saldo acumulado até agora chega US$ 97,15 milhões. As exportações acumuladas em cinco meses chegam a US$ 247,6 milhões, que são 9,8% menores que as registradas nesse intervalo no ano passado, quando o volume exportado chegou a US$ 274,5 milhões. O mesmo ocorre com o volume de importações acumuladas, que totalizam um montante de US$ 150,5 milhões em 2023. Isso representa uma redução de 7% no comparativo com o ano passado.

Outros produtos

O aumento do volume de exportação foi influenciado pelo envio do óleo combustível, mas também por outras mercadorias que passaram a compor a pauta de exportação no mês. Entre essas comodities, estão itens graneleiros, como açúcar (US$ 3,509 milhões) e sal marinho (US$ 2,486 milhões), cujas remessas para os Estados Unidos totalizaram US$ 8,7 milhões.
Juntamente com os mamões papaias, o estado chegou a enviar pouco mais de mil toneladas desses produtos para os países ibéricos Portugal e Espanha, o que equivaleu a um volume de US$ 1,332 milhão negociado. O destino das mercadorias também incluiu países sul-americanos, com exportações de tecidos de algodão para o Peru e a Colômbia, somando US$ 1,213 milhão aproximadamente.

Energias em alta

Não somente a venda, mas também a compra de mercadorias no mercado externo teve aumento no mês. As importações do Estado cresceram quase 108% no quinto mês de 2023, atingindo um total de US$ 49,518 milhões. Isso porque a cadeia de suprimentos para a indústria de energias limpas continua em aquecimento no estudo, sobretudo a de energia solar fotovoltaica e equipamentos para o setor eólico.
Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Maceió
IPVA Ceará
Lucas Araripe | Reprodução
sebrae
refinaria
Elétrico da BYD em exibição na Bahia | Reprodução
Paulo Raposo assume a Diretoria de E-Commerce da Carajás Home Center
Pesquisador da Universidade Federal de Viçosa mostra combustíveis produzidos a partir da Macaúba | Foto: Acelen
Carnaval de Olinda | Reprodução
Fachada do Banco do Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }