Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
21 de fevereiro de 2024 18:50

Afya compra cursos de medicina da Unit por R$ 825 milhões

Afya compra cursos de medicina da Unit por R$ 825 milhões

Grupo Tiradentes vendeu 57% das vagas que detinha nessa área da saúde por R$ 2,4 milhões cada uma

Por Beth Koike

Para Valor Econômico – São Paulo

Após quase um ano de negociações, a Afya, que lidera o segmento de cursos de medicina no país, fechou a compra de duas instituições de ensino do Grupo Tiradentes (Unit), que juntas têm 340 vagas de medicina, por R$ 825 milhões — o que representa R$ 2,4 milhões por vaga. É a maior transação da Afya, que desde sua abertura de capital (IPO) em 2019 já fez cerca de 20 aquisições, somando R$ 3,6 bilhões.
A operação pode ter ainda um acréscimo de R$ 105 milhões, caso outras 84 vagas, atualmente em análise pelo Ministério da Educação (MEC), sejam aprovadas. As instituições que fazem parte do acordo são o centro universitário Tiradentes, em Alagoas, e a faculdade Tiradentes, localizada em Jaboatão Guararapes (PE), que têm notas máximas junto ao Ministério da Educação (MEC). “O valor de R$ 2,4 milhões por vaga ficou um pouco acima da média do mercado e das transações anteriores da Afya, mas nesse caso vale a pena pagar um pouco de ágio. Eles tinham pouca presença no Nordeste e entram nessa praça com uma marca forte”, disse William Klein, presidente da consultoria Hoper Educação.
Klein observou que a oferta de faculdades de medicina para aquisições está cada vez menor devido ao processo de consolidação nesse mercado. “O momento para comprar é agora ou no máximo 2023. Depois vai ser complicado. Ao contrário das demais graduações, que estão sendo afetadas pela disrupção, digitalização, o curso de medicina continua sendo presencial, há demanda por vagas para mais dez anos”, disse.

Não à toa, o processo de venda das duas instituições foi bastante disputado, com interesse praticamente de todas as companhias listadas em bolsa. Fizeram propostas: Ânima, Cruzeiro do Sul, Ser Educacional, Yduqs e a Mubadala Capital. Gestora de private equity do fundo soberano de Abu Dhabi, a Mubadala, em junho, entrou no mercado de cursos de medicina comprando a UniFTC, na Bahia, e foi a que mais perto chegou da proposta da Afya, apurou o Valor.

A Unit não vendeu todo seu negócio de medicina. O centro universitário em Sergipe, onde fica a sede do grupo, e a faculdade localizada na cidade de Goiana, em Pernambuco, que têm 250 vagas de medicina, foram mantidas. Não há acordo de preferência em caso de venda futura desses ativos e daqui um ano as duas instituições de ensino vendidas não poderão mais usar a marca Tiradentes.

No pacote de negociações, a Afya se comprometeu a oferecer gratuitamente seus serviços e plataformas digitais de saúde à Unit. A Afya já investiu cerca de R$ 500 milhões em aquisições de produtos digitais como prescrição médica, telemedicina, simuladores de procedimentos etc.

Há muitos anos, a Unit é procurada por consolidadores e investidores. Por volta de 2015, houve conversas para a venda de toda a instituição de ensino, mas a família fundadora sempre resistiu a sair totalmente da área de educação. Diante da forte valorização do negócio de medicina, os fundadores decidiram vender parte desse ativo e há cerca de um ano abriram um processo competitivo com contratação formal de bancos. A transação foi liderada pelo banco Santander. A Afya foi representada pelo Itaú BBA.

Fundada há 60 anos em Sergipe pela família Uchoa, a Unit é o 11º maior grupo educacional de ensino superior do país, com cerca de 32 mil alunos e receita líquida de R$ 436 milhões em 2020, segundo estimativas da consultoria Hoper.

Com a aquisição, a Afya consolida sua liderança no mercado de medicina, com 3,1 mil vagas de medicina e 19,3 mil alunos matriculados. As duas instituições adquiridas devem registrar receita líquida de R$ 261 milhões, com os cursos de medicina representando 87% desse valor, em 2024.

Do valor de R$ 825 milhões já acordado, R$ 575 milhões serão pagos no fechamento da operação e R$ 250 milhões em três parcelas anuais, respectivamente, de R$ 150 milhões, R$ 50 milhões e R$ 50 milhões, ajustados pela taxa Selic. O múltiplo da transação é de 5,8 vezes o valor do lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) em 2024. Os recursos da aquisição virão do caixa da Afya. A transação depende de aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). (Colaborou Felipe Laurence).

 

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Maceió
IPVA Ceará
Lucas Araripe | Reprodução
sebrae
refinaria
Elétrico da BYD em exibição na Bahia | Reprodução
Paulo Raposo assume a Diretoria de E-Commerce da Carajás Home Center
Pesquisador da Universidade Federal de Viçosa mostra combustíveis produzidos a partir da Macaúba | Foto: Acelen
Carnaval de Olinda | Reprodução
Fachada do Banco do Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }