Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
21 de junho de 2024 16:43

Cesta básica de Fortaleza aumenta e segue a mais cara do Nordeste; salário mínimo ideal é R$ 6 mil

Cesta básica de Fortaleza aumenta e segue a mais cara do Nordeste; salário mínimo ideal é R$ 6 mil

Em 12 meses, o custo da cesta subiu 16,46% na Capital
Preços seguem subindo em todo o País. Foto: Diário do Nordeste

Por Redação
Para Diário do Nordeste

A escalada do custo da cesta básica continua em Fortaleza, chegando a R$ 609,60 em fevereiro, o que representa um aumento de 16,46% nos últimos 12 meses. No entanto, o salário mínimo não acompanhou as elevações.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), seriam necessários R$ 6.012,18 para uma família com quatro pessoas se alimentar, o que corresponde a 4,96 vezes o mínimo vigente, de R$ 1.212,00.

Com o custo mais elevado, o consumidor teve de trabalhar, pelo menos, 110h39min para conseguir custear a alimentação, em 2022, na Capital.

Dentre os itens com alta em relação ao mês anterior, temos a banana (7,33%), o feijão (5,65%), a farinha (5,36%), o pão (2,86%) e a carne (2,29%). Tiveram queda: tomate (9,50%), leite (0,98%), óleo (0,86%), entre outros.

A variação mensal foi de 0,37%, passando de R$ 607,35 para 609,60, em fevereiro deste ano ante janeiro.

Capitais com cestas mais caras 

Fortaleza continua com a cesta básica mais cara do Nordeste. São Paulo registrou o maior custo (R$ 715,65), seguido por Florianópolis (R$ 707,56), Rio de Janeiro (R$ 697,37), Porto Alegre (R$ 695,91) e Vitória (R$ 682,54).

Dentre as cidades do Norte e Nordeste, onde a composição da cesta é diferente das demais capitais, os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 516,82), Recife (R$ 549,20) e João Pessoa (R$ 549,33).

A comparação do valor da cesta em 12 meses, ou seja, entre os preços de fevereiro de 2022 com os de fevereiro de 2021, mostrou que todas as capitais tiveram altas de preços, com variações que oscilaram entre 10%, em Porto Alegre e 23%, em Campo Grande.

  1. São Paulo: R$ 715,65
  2. Florianópolis: R$ 707,56
  3. Rio de Janeiro: R$ 697,37
  4. Porto Alegre: R$ 695,91
  5. Vitória: R$ 682,54
  6. Campo Grande: R$ 678,43
  7. Brasília: R$ 670,98
  8. Curitiba: R$ 652,90
  9. Belo Horizonte: R$ 642,01
  10. Goiânia: R$ 641,09
  11. Fortaleza: R$ 609,60
  12. Belém: R$ 574,86
  13. Natal: R$ 557,20
  14. Salvador: R$ 552,30
  15. João Pessoa: R$ 549,33
  16. Recife: R$ 549,20
  17. Aracaju: R$ 516,82
Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Realização do DDS-QA com os colaboradores em Marituba | reportagem segurança de alimentos | Foto: Reprodução
mobilidade urbana
braskem
Aldemir Freire, Diretor de Planejamento do BNB | Reprodução Linkedin
summit-mobilidade
investalagoas1
Cerimônia marcou a grande noite dos vencedores do XII Prêmio Sebrae Prefeitura Empreendedora (PSPE). Foto: Erivelton Viana.
Uma tela de computador exibindo um mapa do Brasil, um cacto representando o Nordeste e uma seta com indicadores econômicos em crescimento
Karine_Oliveira_Shark_Tank_Brasil_sony_da4a4753b7
Julio-VasconcelosJVC05434-Aprimorado-NR-scaled_p7420_cover_image_resized

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }