Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
19 de junho de 2024 18:55

Investimentos de empresas no Piauí dobram após incentivos fiscais da Sudene

Investimentos de empresas no Piauí dobram após incentivos fiscais da Sudene

Vinte companhias beneficiadas pela instituição investiram R$ 1,5 bilhão em 2023, contra R$ 662 milhões de 2022

Vinte empresas do Piauí investiram R$ 1,5 bilhão no estado em 2023 após obterem incentivos fiscais da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) no ano passado. O número é mais do que o dobro dos 662,3 milhões investidos em 2022, pelas 14 empresas que haviam conseguindo o benefício no mesmo ano. Os dados foram divulgados pela instituição na semana passada.

A empresa que mais investiu foi a Equatorial Piauí Distribuidora de Energia S.A. Ela gastou R$ 1,193 bilhão em 2023, seguida das Águas de Teresina (R$ 815 milhões) e Mega Teleinformáticca Eireli (R$ 23,1 milhões).

Os incentivos fiscais representam uma das principais ferramentas de atuação da Sudene, que também administra o Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) e define as diretrizes do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

Diretoria Colegiada da Sudene. Foto: Élvis Aleluia.

 

O coordenador-geral de Incentivos e Benefícios Fiscais e Financeiros, Silvio Carlos do Amaral e Silva, explicou que a Sudene oferece três modalidades de incentivos: isenção do IRPJ, redução de 75% do IRPJ e reinvestimentos de IRPJ, aplicáveis a projetos de implantação, modernização, ampliação ou diversificação de empreendimentos, com a condição de as empresas serem optantes da tributação com base no lucro real.

“Esses dados evidenciam a retomada do nosso prestígio junto ao setor produtivo. Os empreendedores passaram a enxergar a Sudene como uma parceira importante para consolidar negócios em meio às oportunidades diferenciadas que o Nordeste pode oferecer a vários segmentos da economia nacional”, avalia o superintendente Danilo Cabral.

“Fizemos um grande esforço para divulgar nossos instrumentos de atração de investimentos para a região no último ano, promovendo o desenvolvimento regional com a ampliação da geração de empregos e renda para a população. O número de pleitos de incentivos fiscais aprovados em 2023 é resultado dessa ação”, afirma o diretor de Gestão de Fundos e Incentivos Fiscais da Sudene, Heitor Freire. Outro aspecto que contribuiu para o aumento da demanda por incentivos foi o prazo para a concessão de benefícios fiscais.

 

A lei previa que os incentivos da Sudene só poderiam ser concedidos até 31 de dezembro de 2023. Então, houve uma “corrida” das empresas para apresentação de pleitos. Com a sanção da lei 14.753/23, esse benefício foi prorrogado até 2028. “É preciso destacar que o prazo de fruição dos nossos incentivos é de 10 anos”, acrescentou Heitor Freire.

O aumento de incentivos em toda área de atuação da Sudene, que inclui o Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo foi de 45% em relação ao ano anterior.

Se considerarmos a distribuição dos investimentos por estados, empresas incentivadas instaladas na Bahia e em Pernambuco investiram em cada estado R$ 6,8 bilhões. Em seguida, aparecem Sergipe (R$ 4,7 bilhões), Maranhão (R$ 4,2 bilhões), Espírito Santo (R$ 3,4 bilhões), Ceará (R$ 3,1 bilhões), Piauí (R$ 1,5 bilhão), Alagoas (R$ 1,2 bilhão), Minas Gerais (R$ 942 milhões), Rio Grande do Norte (R$ 891 milhões) e Paraíba (R$ 311 milhões).

Os setores que representaram o maior volume de investimentos foram o de infraestrutura (R$ 11 bilhões), o petroquímico (R$ 9,4 bilhões), o de alimentos e bebidas (R$ 2,3 bilhões), o siderúrgico (R$ 2,2 bilhões) e o químico (R$ 1,8 bilhão). Detalhando os dados dos setores, as empresas que registraram os maiores investimentos foram a Carmo Energy (R$ 4,4 bilhões), em Sergipe; a Seacrest Petróleo SPE Norte Capixaba (R$ 2,3 bilhões), no Espírito Santo; Equatorial Maranhão Distribuidora de Energia (R$ 1,9 bilhão), no Maranhão; Hemobrás (R$ 1,9 bilhão) e BRK Ambiental (R$ 1,6 bilhão), em Pernambuco; Arcelormittal Pecém (R$ 1,6 bilhão), no Ceará; e a Equatorial Piauí Distribuidora de Energia (R$ 1,2 bilhão), no Piauí.

 

10 maiores investimentos no Piauí com incentivos da Sudene:

  • Equatorial Piaui Distribuidora de Energia S.A (R$ 1.193.815.000,00)
  • Águas de Teresina Saneamento SPE S.A. (R$ 241.247.449,31)
  • Mega Teleinformatica Eireli (R$ 23.143.310,35)
  • Halley Indústria de Embalagens e Editora S.A (R$ 15.000.000,00)
  • Exa Serviços de Tecnologia S.A. (R$ 14.193.657,13)
  • Virtex Telecom LTDA (R$ 11.103.938,17)
  • Equatorial Piaui Distribuidora de Energia S.A (R$ 10.463.172,46)
  • Bauminas Química N/NE LTDA (R$ 10.106.628,98)
  • Curtume Cobrasil LTDA (R$ 7.453.976,59)
  • Foncepi Natural Waxes LTDA (R$ 5.000.000,00)
Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

braskem
Aldemir Freire, Diretor de Planejamento do BNB | Reprodução Linkedin
summit-mobilidade
investalagoas1
Cerimônia marcou a grande noite dos vencedores do XII Prêmio Sebrae Prefeitura Empreendedora (PSPE). Foto: Erivelton Viana.
Uma tela de computador exibindo um mapa do Brasil, um cacto representando o Nordeste e uma seta com indicadores econômicos em crescimento
Karine_Oliveira_Shark_Tank_Brasil_sony_da4a4753b7
Julio-VasconcelosJVC05434-Aprimorado-NR-scaled_p7420_cover_image_resized
Imagem gerada por inteligência artificial: (várias lojas populares, vendendo milho cozido, com bandeirinhas coloridas penduradas em cordões nas ruas, vários compradores e um grupo com uma pessoa tocando sanfona)
engie-696x428

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }