Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
29 de fevereiro de 2024 11:13

Natal é o destino mais caro entre as capitais do Nordeste

Natal é o destino mais caro entre as capitais do Nordeste

Estudo da Fecomércio-RN contemplou principais pólos emissores de turistas do Brasil e quatro capitais vizinhas

Por Redação
Para Tribuna do Norte

Natal voltou a ser o destino mais caro do Nordeste, segundo dados do Radar Tarifas Aéreas. A pesquisa que saiu dia 18 de outubro faz parte da base de dados da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN (Fecomércio-RN) e leva em consideração levantamentos semanais dos quatro principais pólos emissores de turistas do Brasil com destino a Natal e outras três capitais nordestinas vizinhas. Entram no mapeamento da ferramenta, as viagens aéreas saindo de Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro com rotas finais a cidade do sol, Fortaleza, Recife e João Pessoa.

O estudo mostra que a maior variação do preço das passagens aéreas foi na viagem de Belo Horizonte para Natal, na categoria ‘média para embarque no prazo de 30 dias’, que está 68,52% mais cara do que o menor valor pesquisado, Fortaleza. Na categoria, um voo com procedência de Belo Horizonte para Natal custa R$ 716,20, e para Fortaleza, R$ 425.
A cidade de Natal não aparece como o destino mais acessível em nenhuma das possibilidades apresentadas pela plataforma. O único Estado em que a capital do Rio Grande do Norte aparece com o valor mais competitivo no caso do Rio de Janeiro, com R$ 596,00, uma diferença de 3,65% para o menor valor, Recife, que cobra R$ 575,00, para o embarque no prazo de 30 dias, e abaixo dos valores para João Pessoa e Fortaleza.
O Diretor de Inovação e Competitividade da Fecomércio-RN, Luciano Kleiber, explicou o motivo dos voos para o solo potiguar estarem mais elevados. “A grosso modo, podemos dizer que é uma questão de mercado. E pior que é uma questão complexa porque cria um círculo vicioso: temos pouco fluxo de passageiros o que reduz a malha aérea e eleva o custo. E, com o custo mais alto, temos menos passageiros viajando para Natal”, explicou o diretor.
A elevação dos preços das passagens aéreas acaba influenciando a cadeia produtiva do turismo no RN, como o setor de hotelaria. Para tentar competir com outros estados, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RN (ABIH-RN), Abdon Gosson, falou das soluções encontradas pelo ramo.
“Então, com a passagem muito cara, prejudica a hotelaria mais barata do Brasil: o Rio Grande do Norte. Fazemos isso porque se não baixarmos o preço do hotel junto com uma das passagem aérea mais caras, não conseguimos vender o destino. Temos o passeio de buggy mais barato do Brasil também. Tudo aqui é o mais barato”, enumerou Abdon.
Outro fator que preocupa o empresário é como esse dinamismo do custo do ticket, que pode corresponder “40% ou 60% dos gastos da viagem” pode induzir o possível turista a escolher outro local para passar as férias.
“Qualquer agência de turismo do RN quando o cliente chega para saber os possíveis destinos, nós também disponibilizamos outros locais para ele sair, como Recife e João Pessoa. Isso é um absurdo, muita gente acaba saindo de João Pessoa e Recife e aquecendo o mercado de lá”, lamentou.
Segundo dados divulgados pelo Boletim de Inteligência da Emprotur (Empresa Potiguar de Promoção Turística), o mês de dezembro será o melhor para a malha aérea de Natal. A expectativa é de 1.688 voos, o que inclui embarques e desembarques, com 287 mil assentos disponíveis – geralmente a taxa de ocupação é de 92% (o que significaria 264 mil passageiros efetivos).
A estimativa otimista do Boletim vai de encontro à pesquisa apresentada pelo Radar Tarifas Aéreas, sendo que o valor da passagem aérea cobrada pelas companhias está diretamente ligada ao destino dos turistas brasileiros, como lembra Abdon Gosson.
“O ticket aéreo é 40% ou 60% dos gastos da viagem. Prejudica o setor que mais emprega pessoas aqui no estado. Não pedimos para que as passagens sejam as mais baratas do que o estados vizinhos, e sim o mesmo preço para competir de igual para igual”, disse.
RADAR TARIFAS AÉREAS
Preço Médio das Passagens Aéreas (18.10.2021)
Média para embarque 15 dias
 
Belo Horizonte
João Pessoa  – R$ 857,00
Natal – R$ 823,00
Recife – R$ 739,00
Fortaleza – R$ 708,00 – Menor valor
 
Brasília
Natal – R$ 980,20
João Pessoa  – R$ 846,60
Fortaleza – R$ 800,00
Recife – R$ 752,00 – Menor valor
 
São Paulo
Fortaleza – R$ 891,00
Natal – R$ 685,40
Recife – R$ 626,80 
João Pessoa – R$ 533,80 – Menor valor
 
Rio de Janeiro
João Pessoa – R$ 855,80
Fortaleza – R$ 869,80
Natal – R$ 769,80
Recife – 630,40 – Menor valor
 
Média para embarque 30 dias
Belo Horizonte
Natal – R$ 716,20
João Pessoa  – R$ 707,00
Recife – R$ 650,80
Fortaleza – R$ 425,00 – Menor valor
 
Brasília
Natal – R$ 696,80
Fortaleza – R$ 560,80
João Pessoa  – R$ 593,00
Recife – R$ 512,40 – Menor valor
 
São Paulo
João Pessoa  – R$ 665,60
Recife – R$ 561,20
Natal – R$ 558,20
Fortaleza – R$ 482,60 – Menor valor
 
Rio de Janeiro
Fortaleza – R$ 708,60
João Pessoa  – R$ 662,80
Natal – R$ 596,00
Recife – R$ 575,00 – Menor valor
Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

conectarecife
OIP
The landscape of Caatinga in Brazil
2021-04-23-general-salgado-5-1
Reprodução
Reprodução
Reprodução
B3 | Reprodução
Maceió
IPVA Ceará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }