Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
21 de fevereiro de 2024 17:35

Os fatores que explicam as fortes perdas das bolsas globais em uma semana-chave para o mercado

Os fatores que explicam as fortes perdas das bolsas globais em uma semana-chave para o mercado

No último mês, oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta, com destaque para transportes, que tiveram a maior elevação nos preços

Por Mariana Zonta D’Ávila
Para Infomoney

Pressionada pelo aumento dos preços de combustíveis, automóveis, alimentação e energia elétrica, a inflação voltou a apresentar em agosto desempenho acima do esperado pelo mercado financeiro, elevando as preocupações de economistas que a alta dos preços perdure em 2022.

No último mês, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,87% ante julho, acima da alta de 0,71% esperada por economistas consultados pela Refinitiv, e o maior resultado para o mês desde 2000. Com isso, o indicador acumula altas de 5,67% no ano e de 9,68% nos últimos 12 meses.

No período, oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta, com destaque para os transportes, que tiveram a maior elevação nos preços. Puxado pelos combustíveis, o grupo registrou a maior variação (1,46%) e o maior impacto (0,31 p.p.) no índice geral.

gasolina, por exemplo, subiu 2,80% e teve o maior impacto individual (0,17 p.p.). Etanol (4,50%), gás veicular (2,06%) e óleo diesel (1,79%) também ficaram mais caros no mês.

Na avaliação de economistas do mercado financeiro, o dado traz um viés negativo, principalmente por conta da rápida disseminação e generalização de aumento dos preços no índice.

Com isso, os juros curtos avançam cerca de 45 pontos-base na sessão, precificando uma chance maior de alta de 125 pontos-base da Selic na próxima reunião e juros acima de 10% já em julho de 2022.

“As pressões não foram concentradas em um único componente, o que é uma grande preocupação pensando em política monetária. Vimos que a inflação é bem disseminada e atinge quase todos os setores da economia”, afirma João Leal, economista da Rio Bravo Investimentos.

Segundo ele, o risco é de que essa alta generalizada continue pressionando a inflação de 2022, impulsionando as expectativas e forçando o Comitê de Política Monetária (Copom) a colocar a Selic em níveis acima de 8% ao ano.

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Maceió
IPVA Ceará
Lucas Araripe | Reprodução
sebrae
refinaria
Elétrico da BYD em exibição na Bahia | Reprodução
Paulo Raposo assume a Diretoria de E-Commerce da Carajás Home Center
Pesquisador da Universidade Federal de Viçosa mostra combustíveis produzidos a partir da Macaúba | Foto: Acelen
Carnaval de Olinda | Reprodução
Fachada do Banco do Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }