Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
22 de fevereiro de 2024 17:33

Pernambuco pode produzir mais mel com incentivo aos produtores do sertão

Pernambuco pode produzir mais mel com incentivo aos produtores do sertão

Codevasf investiu R$ 41 milhões nos últimos quatro anos para estruturar comunidades rurais pernambucanas

Por Redação
Para Nordeste Rural

O Sertão do Araripe, conhecido pela produção de gesso, aumentaram os investimentos da Codevasf para agricultores que querem investir em apicultura. Com esse incentivo, a expectativa é que a produção de mel pernambucana tenha um incremento, em sua capacidade de 300 toneladas por ano. “A apicultura hoje apresenta uma possibilidade real de negócios, e o apoio da Codevasf propiciou aos agricultores familiares o aumento da produção e a abertura de novos mercados, pois o comércio do mel, que anteriormente era realizado em vasilhames improvisados, hoje é feito de forma adequada e de acordo com a legislação sanitária, o que permite agregação de valor ao produto”, explica a gerente de desenvolvimento territorial da Codevasf, Janleide Costa.

No sertão pernambucano, já foram investidos R$ 7,5 milhões, o que permitiu disponibilizar aos produtores rurais 250 kits familiares, materiais e equipamentos, bem como a construção de sete unidades de beneficiamento de mel nos municípios de Afogados da Ingazeira, Inajá, Moreilândia, Araripina e Santa Filomena. Em Petrolândia, os apicultores serão beneficiados com duas unidades de beneficiamento do produto, que estão em fase de conclusão. Em Manari, a unidade foi reformada.

Nos últimos quatro anos, foram investidos pela Codevasf cerca de R$ 41 milhões para estruturar comunidades rurais afetadas pelas estiagens prolongadas nos sete estados onde a Companhia atua, colocando a apicultura como alternativa de trabalho e renda. Os recursos são oriundos da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI). Do total aplicado, cerca de R$ 20,6 milhões foram direcionados para estruturação das comunidades: 4,8 mil kits familiares, compostos por colmeias, melgueiras, suporte, cera, equipamentos de proteção individual, carretilha manual, formão e fumigador que são hoje usados na produção.

 

 

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

B3
Maceió
IPVA Ceará
Lucas Araripe | Reprodução
sebrae
refinaria
Elétrico da BYD em exibição na Bahia | Reprodução
Paulo Raposo assume a Diretoria de E-Commerce da Carajás Home Center
Pesquisador da Universidade Federal de Viçosa mostra combustíveis produzidos a partir da Macaúba | Foto: Acelen
Carnaval de Olinda | Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }