Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
24 de maio de 2024 23:19

Presidente Lula e Governador Paulo Dantas assinam ordem de serviço para nova etapa do Canal do Sertão

Presidente Lula e Governador Paulo Dantas assinam ordem de serviço para nova etapa do Canal do Sertão

Continuidade da maior obra de infraestrutura hídrica que percorre os municípios do semiárido e modifica realidade socioeconômica de agricultores alagoanos, trecho 5 terá cerca de 25 km
Ordem de serviço foi assinada nesta quarta em São José da Tapera | Foto: Edvan Ferreira – Agência Alagoas

Em um momento histórico para Alagoas, o presidente Lula e o governador Paulo Dantas comprometeram-se com investimentos superiores a R$ 560 milhões para expandir o Canal do Sertão, especialmente no trecho 5, abrangendo os municípios de São José da Tapera, Monteirópolis e Olho d’Água das Flores e beneficiando milhares de famílias.

Em cerimônia na cidade de São José da Tapera, Paulo enalteceu a força da transformação na vida do povo sertanejo promovida pelo Canal do Sertão e expressou gratidão pelo suporte que tem recebido do Governo Federal.

“O presidente Lula em seus mandatos, mais a presidente Dilma, investiu RS 2 bilhões [no canal]. Precisou o senhor voltar à Presidência da República para termos a condição de levar o Canal do Sertão à diante, e alcançarmos, através do trecho 5, 150 km de canal”, disse o governador. Em Alagoas, há foco significativo na melhoria do saneamento, destacando-se a implementação do Programa Mais Água.

Paulo ressaltou que, além de fornecer água para muitos alagoanos, as obras do trecho 5 também criarão empregos tanto diretos quanto indiretos, impulsionando a economia local. “As pessoas que estão aqui vão ter a oportunidade de preparar seu currículo e conseguir um emprego, e a roda da economia vai movimentar, o que vai gerar outros tantos empregos indiretos. É o Brasil crescendo de um lado, e Alagoas crescendo e dando orgulho do outro”, disse.

Em seu discurso, o presidente Lula relembrou sua infância em Garanhuns (PE), onde enfrentou a fome e a sede, tendo que migrar para São Paulo. “Quando eu desci do helicóptero e vi o canal, a imagem que veio à cabeça foi quando eu tinha 7 anos, e minha mãe saiu de Garanhuns com 8 filhos no pau de arara para não morrer de fome. Então, essa imagem é muito forte, explica porque eu não nego água a quem tem sede”, disse Lula, emocionado.

Lula defendeu a construção do canal, apesar do alto custo da obra. “O que custa criar um canal do sertão? O que temos que ver é o que custou não fazer essa obra há 100 anos, há 50, há 40 anos. Não tem obra mais extraordinária do que aquela que traz um sorriso de satisfação na cara de homens, mulheres e crianças que são os beneficiados com esse programa”, destacou.
Por sua vez, o prefeito de São José da Tapera, Jarbas Ricardo, comemorou a mudança que o canal trará para o município e para toda a região. “Com mais de 120 quilômetros construídos, e agora o início de mais 26 km, este canal transformou e vai transformar a vida de milhares de sertanejos. Já chegamos a ter 60% da população de São José da Tapera dependente do caminhão pipa, e agora isso não existe mais. Todos têm acesso à água do Canal do Sertão”, afirmou.

Transformação na realidade socioeconômica de agricultores alagoanos

Ao longo dos seus 123 quilômetros de extensão pelo semiárido alagoano, a maior obra de infraestrutura hídrica de Alagoas está mudando a vida das famílias. Agora, elas podem expandir a produção agrícola e criar animais, tudo graças à chegada de água em suas terras.

Dois exemplos são os agricultores Jarbas Pereira e Henrique José, tio e sobrinho, respectivamente. Eles cultivam palma e milho no município de Senador Rui Palmeira e estão experimentando uma nova realidade social e econômica que impacta positivamente no sustento familiar.

“Muitas famílias tiveram as suas vidas transformadas pelo Canal do Sertão. Nós conseguimos ampliar a produção de palma e milho, aumentamos as nossas vendas e isso nos traz uma alegria muito grande, porque o que antes era quase impossível, e agora é um sonho realizado”, diz Jarbas.

Henrique José destaca a grandiosidade da obra e a atenção humana do Governo de Alagoas ao garantir mais investimentos para dar continuidade ao Canal do Sertão.

“Nunca vimos algo tão grandioso e valioso como isto [apontando para o Canal do Sertão]. O governador Paulo Dantas e o presidente Lula estão salvando milhares de famílias da seca e do sofrimento da estiagem”, reforça.

Jarbas Pereira e Henrique José (tio e sobrinho) conseguem expandir a sua produção de alimentos | Foto: Thiago Sampaio – Agência Alagoas

Alívio no bolso alavanca na produção

A transformação no cenário socioeconômico também está sendo sentida pelos moradores de São José da Tapera. Antes de ter acesso à água do Canal do Sertão, o agricultor Maciel de Oliveira, de 36 anos, precisava desembolsar uma grande quantia do próprio bolso para garantir recursos essenciais para o sustento familiar.

“Cheguei a pagar R$300,00 por caminhão-pipa. Era muito difícil plantar e produzir, porque dependíamos das chuvas e do caminhão-pipa. Todo o meu dinheiro com a produção era destinado a pagar pela água, mas com o Canal do Sertão essa dificuldade está sendo superada. Hoje consigo pagar as minhas contas tranquilamente e até contratar um ajudante na produção”, revela o agricultor.

Maciel de Oliveira também destaca a importância de os governos – Paulo Dantas e Lula – garantirem a continuidade das obras do Canal do Sertão.

“Esse Canal é uma bênção para nós, moradores do Sertão. O governador Paulo Dantas, o presidente Lula, estão seguindo com as obras e quanto mais as pessoas tiverem acesso à água, mais poderão produzir e tirar o seu sustento”, completa.

Água para quem tem sede

Aos 17 anos, Gabriel Silva, residente em São José da Tapera, quase ao lado do Canal do Sertão, costumava caminhar dois quilômetros com seu pai para buscar água no rio e depois voltar para casa. Hoje, a água está disponível perto de sua residência.

“Andávamos dois quilômetros todos os dias para buscar água do rio, que servia tanto para nossa casa, quanto para os nossos animais. Era muito sofrido, mas hoje temos praticamente na nossa porta. Meu avô teve o terreno cortado pelo Canal do Sertão e agora utilizamos a água para as nossas plantações, consumo e para os animais. Tudo mudou, tudo melhorou”, comemora Gabriel.

O Canal e sua amplificação

O Canal do Sertão é a maior obra de infraestrutura hídrica de Alagoas e uma das maiores do Nordeste. O trecho 5, financiado pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal com um investimento de mais de R$ 565 milhões, se estenderá do Km 123,4 ao Km 150, beneficiando as famílias dos municípios de São José da Tapera, Monteirópolis e Olho d’Água das Flores. Quando concluído, o canal terá 250 km de extensão, ligando Delmiro Gouveia a Arapiraca, e beneficiará mais de 280 mil alagoanos. A continuidade desse projeto está incluída no PAC 3, pela responsabilidade social, fiscal e de gestão do governo de Paulo Dantas.

Foto: Thiago Sampaio – Agência Alagoas
Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Imagem do WhatsApp de 2024-05-24 à(s) 10.44
Galvanifertilizantespng
pina - recife
tijolos-ecologicos-
(Foto: Romain Dancre/Unsplash)
img13-1
Praia de Carneiros | Reprodução
WhatsApp Image 2024-05-17 at 14.23
Imagem aérea de bairro de Marechal Deodoro | Foto: Ricardo Ledo
i

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }