Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
19 de junho de 2024 16:47

Crise em Maceió: o enigma econômico do afundamento de solo causado pela Braskem

Crise em Maceió: o enigma econômico do afundamento de solo causado pela Braskem

Relatório de acadêmicos mostra que impactos econômicos seguem desconhecidos

Em meio à tensão que envolve o risco iminente de colapso na 18ª mina de sal-gema da Braskem em Maceió, as ações da empresa (BRKM5) lideram as perdas do Ibovespa nesta sexta-feira, refletindo a ansiedade dos investidores diante do caso. A perda acumulada em dois dias chega a 14%, totalizando R$ 2,1 bilhões a menos em valor de mercado. 

Área na região das minas | Reprodução/Braskem

O afundamento de solo que levanta questionamentos sobre o futuro da saúde financeira da empresa, não apenas ameaça a segurança dos moradores, mas também desencadeia uma série de questionamentos sobre os impactos econômicos na região.

Um dossiê elaborado há alguns meses por professores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) aponta divergências significativas em relação ao estudo técnico encomendado pela Braskem. Enquanto a empresa contratou a Diagonal para avaliar os impactos econômicos, o documento acadêmico destaca lacunas preocupantes na análise apresentada pela mineradora.

Interpretações discrepantes

Uma das principais controvérsias se refere ao número de empresas afetadas pelo afundamento do solo. O estudo da Diagonal, financiado pela Braskem, não detalha quantas empresas foram impactadas dentro da região listada no mapa de risco. Professores da UFAL alegam que essa omissão compromete a compreensão real do alcance econômico da crise.

Outro ponto de discordância está relacionado aos prejuízos causados a empresas e atividades econômicas informais nos bairros afetados. O dossiê questiona a extensão desses danos, citando áreas como Flexais, Quebradas, Marquês de Abrantes, Chã de Bebedouro, Vila Saem, Pinheiro, entre outras. A ausência de informações específicas levanta dúvidas sobre a dimensão real do impacto econômico nessas localidades.

Leia o dossiê na íntegra:

Unable to display PDF file. Download instead. 

Diagnósticos:

Os diagnósticos produzidos pela Diagonal podem ser acessados no site https://maisdialogos.com/documentos

Dificuldades no monitoramento

A falta de transparência quanto ao fechamento imediato de empresas após o desastre ambiental é um ponto sensível na análise do material da Diagonal. Professores da UFAL buscam entender quantas empresas encerraram suas atividades ou reduziram operações nos últimos cinco anos, desde o início dos tremores de terra causados pela Braskem. Essa informação, vital para compreender a dinâmica econômica local, permanece nebulosa.

Mapa atualizado das áreas de risco em Maceió | Reprodução / Prefeitura de Maceió

Perspectivas futuras e inquietações

O relatório acadêmico também aborda as projeções de perda de empregos formais e informais, indagando sobre o impacto na renda dos trabalhadores da região. Com uma população afetada que já ultrapassa os 50 mil deslocados, as consequências sociais e econômicas se entrelaçam, tornando-se uma trama complexa de desdobramentos.

Incertezas financeiras e alertas de analistas

As atenções estão todas voltadas para os próximos acontecimentos. A Justiça Federal determinou a retirada compulsória de famílias, enquanto a Defesa Civil atualiza constantemente os mapas de risco. Enquanto isso, as ações da Braskem na bolsa de valores refletem não apenas o temor pela segurança estrutural, mas também as implicações financeiras que podem recair sobre a empresa.

Reprodução – Google

Analistas do BTG Pactual alertam para possíveis provisões adicionais que a empresa pode ser forçada a arcar, impactando negativamente sua capacidade de geração de caixa no curto prazo – elementos que afetam diretamente a percepção de valor pelo mercado financeiro. Além disso, a Braskem ainda discute na justiça o valor de indenização a ser pago ao governo de Alagoas como reparação do impacto sobre a economia do estado, como um todo. Um acordo (no valor de R$ 1,7 bilhão) compensatório foi fechado apenas com a Prefeitura de Maceió.

Nesse cenário de tensão e expectativa, a população aguarda respostas concretas sobre o futuro econômico da região. As próximas decisões judiciais e ações da Braskem serão determinantes para moldar não apenas o destino das pessoas, mas também o destino econômico dos bairros afetados em Maceió.

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

braskem
Aldemir Freire, Diretor de Planejamento do BNB | Reprodução Linkedin
summit-mobilidade
investalagoas1
Cerimônia marcou a grande noite dos vencedores do XII Prêmio Sebrae Prefeitura Empreendedora (PSPE). Foto: Erivelton Viana.
Uma tela de computador exibindo um mapa do Brasil, um cacto representando o Nordeste e uma seta com indicadores econômicos em crescimento
Karine_Oliveira_Shark_Tank_Brasil_sony_da4a4753b7
Julio-VasconcelosJVC05434-Aprimorado-NR-scaled_p7420_cover_image_resized
Imagem gerada por inteligência artificial: (várias lojas populares, vendendo milho cozido, com bandeirinhas coloridas penduradas em cordões nas ruas, vários compradores e um grupo com uma pessoa tocando sanfona)
engie-696x428

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }