Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
19 de junho de 2024 17:32

Galvani anuncia investimento de R$ 3 bilhões no Nordeste para expandir operações e reduzir importação de fertilizantes

Galvani anuncia investimento de R$ 3 bilhões no Nordeste para expandir operações e reduzir importação de fertilizantes

Empresa inicia expansão com lançamento da pedra fundamental na Bahia, visando duplicar produção, abrir nova mineração e construir fábrica no Ceará até 2027

Nesta sexta-feira (24), a Galvani Fertilizantes deve lançar a pedra fundamental de sua nova unidade na Bahia, marcando o início de um ambicioso plano de investimento de R$3 bilhões até 2027. A maior produtora de fertilizantes fosfatados na região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) pretende duplicar sua capacidade industrial na Bahia, abrir uma nova mineração e construir uma fábrica no Ceará. Este projeto visa reduzir em 25% a dependência de fertilizantes importados no Norte e Nordeste.

No ano passado, o Brasil importou 39 milhões das 45 milhões de toneladas de fertilizantes consumidos. Com os novos investimentos, a Galvani espera diminuir essa dependência, aumentando a produção nacional. Segundo Marcelo Silvestre, presidente da Galvani, a primeira etapa do plano de expansão já começou, com investimentos de R$ 700 milhões. Desses, R$ 400 milhões serão destinados à nova mineração de fosfato em Irecê, Bahia, e R$ 200 milhões para a fábrica de Luís Eduardo Magalhães, também na Bahia. A capacidade dessa unidade será dobrada para 1,2 milhão de toneladas anuais até o início de 2026.

A segunda fase do plano inclui a parceria com as Indústrias Nucleares do Brasil (INB) no projeto Consórcio Santa Quitéria, no Ceará. Este projeto envolve a exploração de reservas de fosfato e urânio. A Galvani aguarda licenças ambientais para iniciar a implantação, prevista para 2027. O complexo minero-industrial representará um investimento de R$ 2,3 bilhões e terá capacidade para produzir 1 milhão de toneladas de fertilizantes fosfatados por ano, além de 220 mil toneladas anuais de fosfato bicálcico, utilizado em nutrição animal.

Parte dos recursos para esses investimentos virá do caixa da empresa e financiamentos. O projeto em Irecê, por exemplo, conta com um financiamento de R$ 344 milhões da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), graças à inovação na tecnologia de concentração a seco, que elimina a necessidade de barragens de rejeitos.

Nos últimos anos, os preços dos fertilizantes subiram devido a fatores geopolíticos, mas atualmente estão mais estáveis. A Galvani, empresa de controle familiar que faturou R$ 1,2 bilhão no ano passado e emprega 1,1 mil trabalhadores, está focada em atender as culturas de soja, milho e algodão nas regiões Norte e Nordeste, mantendo sua posição como única produtora integrada de fertilizantes fosfatados nessas áreas.

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

braskem
Aldemir Freire, Diretor de Planejamento do BNB | Reprodução Linkedin
summit-mobilidade
investalagoas1
Cerimônia marcou a grande noite dos vencedores do XII Prêmio Sebrae Prefeitura Empreendedora (PSPE). Foto: Erivelton Viana.
Uma tela de computador exibindo um mapa do Brasil, um cacto representando o Nordeste e uma seta com indicadores econômicos em crescimento
Karine_Oliveira_Shark_Tank_Brasil_sony_da4a4753b7
Julio-VasconcelosJVC05434-Aprimorado-NR-scaled_p7420_cover_image_resized
Imagem gerada por inteligência artificial: (várias lojas populares, vendendo milho cozido, com bandeirinhas coloridas penduradas em cordões nas ruas, vários compradores e um grupo com uma pessoa tocando sanfona)
engie-696x428

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }