Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
Jornalismo econômico para a inovação no Nordeste -
23 de fevereiro de 2024 21:46

Nordeste vai fornecer excedente de energia para o sudeste

Nordeste vai fornecer excedente de energia para o sudeste

 

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) fez um estudo sobre a necessidade de reforços estruturais no Sistema Interligado Nacional com o objetivo de solucionar restrições e permitir a conexão de futuros projetos energéticos e, assim, ampliar a capacidade de intercâmbio de energia entre as regiões Nordeste e Sudeste. A conclusão foi que o nordeste, que era deficitário em energia, agora passa a ser exportador. Olha que sensacional!

O excedente de energia eólica do Nordeste irá compensar a escassez de energia elétrica de outras regiões do Brasil, em especial, do sudeste, e atender a demanda dessa região. Fato percebido, especialmente, por conta do período de seca que vem se repetindo a cada ano e que impacta na redução da geração de energia por hidrelétricas. Surge, então, uma grande oportunidade de negócio na área de infraestrutura energética na Bahia, foco principal da primeira rodada de investimentos.

Este primeiro volume do estudo trata apenas da expansão da área sul da região Nordeste, ou seja, a malha de transmissão da Bahia. A ideia é que ela seja expandida e alcance os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Mas a expectativa é muito maior: ela traz um cenário de expansão de 17,2 GW para até 30GW e um volume de investimentos que pode atingir até R$ 18,2 bilhões em novas linhas de transmissões, envolvendo, aproximadamente, 6.600km e 4 novas subestações de Rede Básica.

A chance está justamente aí. Uma vez que muitas empresas de infraestrutura energética buscam oportunidades nesse mercado e, para se atingir os objetivos apontados no estudo da EPE, os investimentos no setor serão essenciais para a segurança energética do Brasil. A contratação de empresas para a realização das obras e projetos será imprescindível, já que para sustentar a crescente demanda da região Sudeste (e pode-se dizer a Sul também), será preciso de investimentos em obras de transmissão importantes, tanto agora quanto nos próximos anos, após a autorização definitiva dos órgãos responsáveis do setor (Ministério de Minas e Energia e Agência Nacional de Energia Elétrica).

O importante é acompanhar as atualizações sobre as licitações das obras e dos leilões de transmissão. O primeiro passo será justamente este que atingirá a infraestrutura elétrica da Bahia, que visa reforçar a capacidade de transferência de energia da região norte de Minas Gerais, a partir do trecho final da interligação com o sul do Nordeste. Ainda sem data definida, mas com previsão de ocorrer até junho/2022.

Sua equipe técnica precisa acessar o estudo e todas as informações do “Estudo de Escoamento de Geração da Região Nordeste – Volume 1: Área Sul”? Para conhecer todos os detalhes acesse https://www.epe.gov.br/pt/areas-de-atuacao/energia-eletrica/planejamento-da-transmissao/estudos-de-planejamento.

Prepare-se adequadamente e preventivamente e vá disputar esse mercado!

Print Friendly, PDF & Email

Gostou desse artigo? compartilhe!

Últimas

Reprodução
B3 | Reprodução
Maceió
IPVA Ceará
Lucas Araripe | Reprodução
sebrae
refinaria
Elétrico da BYD em exibição na Bahia | Reprodução
Paulo Raposo assume a Diretoria de E-Commerce da Carajás Home Center
Pesquisador da Universidade Federal de Viçosa mostra combustíveis produzidos a partir da Macaúba | Foto: Acelen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#pf-content img.pf-large-image.pf-primary-img.flex-width.pf-size-full.mediumImage{ display:none !important; }